quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Meteoros, Meteoroides e Meteoritos

Representação artística de um meteoro.     Fonte: urbanres.blogspot.com
Olá pessoal, na postagem dessa semana vamos falar de meteoros e dois termos diretamente ligados à isso e que são menos conhecidos: o meteoroide e meteorito. Vamos lá!!!

Bem, quem nunca ouviu falar ou viu ao vivo uma estrela-cadente? Aposto que você já até fez um pedido, não é mesmo? Brincadeiras à parte, estrela-cadente é um termo errado de se dizer, pois esse fenômeno não tem nada a ver com estrelas caindo ou coisas místicas. Meteoro é um fenômeno muito bonito de ver, aqueles riscos luminosos e rápidos no céu escuro são realmente interessantes. Como dito anteriormente Meteoro é um fenômeno, e é ai que se encaixa os outros termos bem menos conhecidos que falei antes, os meteoroides e meteoritos. Vejamos, o objeto que vem do espaço e encontra o nosso planeta pelo caminho é chamado de METEOROIDE, e o que resta após a tórrida descida e chega à superfície é chamado de METEORITO.


Bem, os meteoroides são rochas provenientes do espaço, e incluem qualquer detrito espacial menor que 100 metros. A maioria destes objetos que atingem a Terra originam dos restos de cometas que passam pela órbita de nosso planeta e possuem,por incrível que pareça, tamanhos mínimos na grande maioria, bem menos que 1 metro! Esses rastros cometários são imensos chegando a ter milhões de quilômetros de diâmetro e causam um outro bonito fenômeno chamado chuva de meteoros. Esse fenômeno é caracterizado por uma grande taxa de meteoros que ocorrem por hora e que riscam o céu vindos de um ponto específico. Essa região específica é chamada de radiante, e da constelação em que se encontra a radiante é que saí o nome da chuva de meteoros. As mais conhecidas são Perseidas que ocorre em agosto e Leônidas que ocorre em novembro. 

Quando esses meteoroides encontram a Terra em seu caminho, eles caem em direção à superfície com velocidades muito altas que giram em torno dos 11 a 72 km/s. O atrito com a atmosfera provoca temperaturas altíssimas, acima dos 1.600 °C, fazendo com que o meteoroide entre em combustão e voilà, temos um meteoro!

Após o show no céu, pode sobrar alguma coisa do meteoroide que chegue à superfície da Terra. Isso dependerá não somente do tamanho do objeto, mas também de sua velocidade, por exemplo. Geralmente o que resta é somente poeira. Mas se sobrar algum fragmento que chegue à superfície, este se chamará meteorito, como dissemos no início do artigo. 

O mais conhecido meteorito do Brasil é o chamado Bendegó que caiu no interior da Bahia há milhares de anos atrás. Ele foi descoberto nos finais do século XVIII.

Meteorito de Bendegó.     Fonte: Wikipedia

E não podemos nos esquecer do fato mais recente que ganhou as manchetes de todos os jornais do mundo. No dia 15 de fevereiro de 2013 um meteoroide de cerca de 17 metros explodiu na região dos Urais, na Rússia. O fenômeno liberou tanta energia que telhados caíram e vidros foram estilhaçados.

Rastro deixado pelo Meteoro de Chelyabinsk, Rússia. O fenômeno ocorreu no
início de 2013 e calcula-se que o meteoroide tinha em torno de 17 metros.      Fonte: Wikipedia

Pois é pessoal, desejo à todos bons céus e muitos meteoros para vocês apreciarem! 

2 comentários:

  1. continue com suas postagens, são excelentes!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado João Pedro... Vou continuar sim! Grande Abraço pra você!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...